Little Nemo: The Dream Master – CULT CULT CULT!!!

18 03 2009

nemo-pajama-hero-j_01

Título: Little Nemo: The Dream Master
No Japão: Nemo Pajama Hero
Produzido por: Capcom
Para: Nes
Em: 1990

A era de ouro dos jogos de plataforma nos reserva obras de extremo bom gosto como esta, especialmente por parte da Sega, Nintendo, Konami e Capcom.

No ano de 1990 a Capcom que já trabalhava fazendo ótimos jogos com personagens Disney, resolveu mecher com o CULT(naquela época já era cult) quadrinho americano chamado Little Nemo.

300px-little_nemo_purple_blanket_modified

little_nemo_flipFalemos um pouco das origens de Little Nemo. Criado por Winsor Mccay, este personagem era estrela de tirinhas de jornais americanos (New York Herald e New York American), publicado de 1905 a 1913 (reparem que é bem novo) e teve duas series, uma em cada jornal Little Nemo in Slumberland e Little Nemo in the Land of Wonderful Dreams. Depois reviveram entre 1924-27. A historias eram surrealistas tinham um certo tom adulto usado numa historia que seria teoricamente pra crianças, muitas vezes com tons sombrios e violentos. Destaque pra arte que são praticamente pinturas de tão detalhadas, algumas histórias estão até no museu do Louvre. Bem não vou entrar muito em detalhes senão vai ser matéria pra semana toda… Mas deve-se destacar que Nemo não foi compreendido na sua época, só ganhando status de arte entre o fim do século 20 e inicio do 21. Ouveram 3 adaptações para cinema: um curta de 1911(animação), uma horrenda versão com atores em 1984, e em 1989 os japoneses se uniram aos americanos pra fazer uma coisa descente Little Nemo: Adventures in Slumberland. Roteiro americano e direção japonesa. Esse foi o incentivo da Capcom…

little-nemo-the-dream-master-u_05

O jogo: Na verdade eles lançaram logo dois jogos totalmente diferentes, um para Nes e um Arcade. Concentro-me no jogo de Nes que acho mais interessante e joguei mais. O bom dos jogos baseados em cartoons da época de 8 e 16 bits é porque eram produzidos por empresas grandes, e visavam não só fazer os baixinhos pagarem pra jogar com seus personagens, mas os mais velhos também poderiam jogar unicamente por diversão. Exemplo direto disso – Quantos jogos com personagens Disney você realmente gostou entre a geração PS1 e Ps2? Todo mundo só vai lembrar do Kingdom Hearts, alguns poucos podem até mencionar Hercules. Agora façam o mesmo com a geração 8 e 16 bits. Praticamente todos os jogos eram feitos por Konami e Capcom e eles caprichavam mesmo. Até a trilha sonora contava com os compositores de carros chefes das empresas como Megaman, Castlevania e etc…

E o jogo do Nemo não fica pra trás. Nemo é um garotinho do ano de 1905. Ele acorda no meio da noite e vê um balão na janela de onde surge uma emissária da Princesa Camille de  Slumberland, (que vocês deduzem ser a terra dos sonhos) convidando-o para se divertir por lá. Nemo demonstra extrema baitolagem e diz que iria contanto que não tivesse que beijar a garota, apenas motivados pelos doces que acabara de ganhar. Moral da história: “Se um estranho oferece doces, vire amigo do estranho”

Ele não gosta de mulher

Ele não gosta de mulher

Slumberland é a terra do Rei Morpheus(Matrix?!)… Claro que chegando lá tem um vilão chamado Nightmare King que dominou tudo bla bla e vocês já podem deduzir…

Passando pra aventura, encontrarás um divertido e jogo de plataforma com graficos bonitinhos padrão NES, e dos jogos baseados em cartoon da Capcom é o mais dificil deles. São 8 áreas no total de 10 fases, com temas diferentes, mas que vocês já podem deduzir mais uma vez – cogumelos, florestas, cavernas/ruínas, brinquedos gigantes, doces, cachoeiras… ainda bem que eu amo esses clichês. Enquanto Nemo for só o moleque de pijama terá apenas sua sacola de doces infinitos. Nada de pulinho na cabeça, você pode no máximo paralisar rapidamente um inimigo com o doce. Para aumentar suas chances de sobrevivência, com alguns inimigos é permitido fazer uma FUUUU SÃAAO! HAAA!!!

A toupeira é um dos bichinhos que você pode se fundir jogando doces.

A toupeira é um dos bichinhos que você pode se fundir jogando doces.

Assim vai ganhando várias roupinhas ao estilo Super Mario Bros.3, com poderes diferentes. As roupas são:

Sapo – Pulos gigantes, ataque com pulo e sabe nadar bem.
Toupeira – Para cavar em certos locais.
Gorila – Pode dar socos e escalar árvores.
Lagarto – Diminui seu tamanho e escala paredes.
Abelha – Voa por um certo tempo(Alguém lembrou do Mario Galaxy?)
Rato – Escala paredes e quebra algumas delas com um martelo.
Carangueijo – Ataca com as pinças e cava em determinadas áreas.
Peixe – Melhor dos nadadores, é claro.

Com a ajuda do K-lango

Com a ajuda do K-lango

Nemo abelhudo que nem Mario Galaxy.

Nemo abelhudo que nem Mario Galaxy.

Certas fases das fases só é possível terminar com uma roupinha apropiada. Pra acabar cada fase é preciso encontrar um certo número de fases, caso contrário será preciso fazer o caminho de volta.

Pra completar, as musiquinhas são até legais, compostas por Junko Kamiya(de Strider e Bionic Commando) e Yoko Shimomura(dispensa apresentações, mas quem não é ligado não vai saber que ela fez as musicas de Kingdom Hearts, Mario E Luigi Partners in Time, Legend e Heroes of Mana e trabalhou em conjunto com a sua banda Alpha Lylia em Street Fighter 2), mas não são tão memoráveis como outros trabalhos cartoonescos da Capcom como Duck Tales ou Chip N Dale.

Bem encerro com um defeito do jogo que para alguns vai ser qualidade: o tema é infantil, mas seu filhinho/sobrinho jamais vai terminar esse jogo sozinho porque é dificil pra caramba. Eu fico particularmente feliz com a molecada longe do videogame.

Tan tan dam, tan dam dam daaaaaam(tema do Donkey Kong) ;p

Tan tan dam, tan dam dam daaaaaam(tema do Donkey Kong) ;p

"Encontle MIGUCHOS cum dikinhas mimimi"

"Encontle MIGUCHOS cum dikinhas mimimi"

Tinha que ter uma fase dessas

Tinha que ter uma fase dessas

Publicidade