Genseijin Justirisers – Nova geração de heróis nipônicos também tem jogos

26 11 2009

Título: Genseijin Justirisers
Sistema: Game Boy Advanced
by Konami – 2004

Apesar de eu nunca ouvir falar desses caras, parece ser uma série com alguma notoriedade, pois a Konami resolveu investir num jogo. O trio que trás dois heróis e uma japinha gostosinha, como manda a tradição, deve evitar ataques de criaturas, que insistem em atacar o Japão.

Espada contra bastão

Personagens e seus golpes:

O estilo do jogo faz lembrar aqueles dos Power Rangers para Super Nes, mas a jogabilidade flui melhor, se comparado ao título citado. Os três personagens podem ficar se revezando entre as fases, cada um com suas vantagens, seja de equilíbrio(vermelho), força(preto) ou velocidade(azul). Você pode lutar contra os inimigos com os punhos limpos, ou trocar pra sua arma, cada personagem com uma diferente. Pressionando L e R, após encher a barra de poder um golpe especial é lançado, acabando com inimigos próximos.

Ela tem Shoryuken Wanna Be

Poderes!!!

Defeitos: Como é clichê deste tipo de jogo, a variedade de inimigos é pequena, em certos momentos você pode acabar se entediando de socar aquele cara pela milionésima vez. Os gráficos não são chegam a ser ruins, mas podiam ir um pouco mais além, tem jogos do mesmo estilo de muito tempo atrás como Ninja Warriros que chamam mais atenção. A trilha sonora não é grande coisa também, o que é de se estranhar vindo da Konami.

Justirisers, não é uma porcaria, mas poderia ser melhor. De qualquer maneira,dá pra se divertir por uma tarde, de preferência jogando no seu portátil, pois eu acho um saco emular portátil em tela de PC.

Bota o chefe pra correr!

Robozão, tem sim!





SD Hero Soukessen Taose! Aku no Gundan

23 11 2009

Título: SD Hero Soukessen Taose! Aku no Gundan
Sistema: Nes
by Banpresto

Nas locadoras da época, este título era conhecido pelos pivetes por “Jogo do Jaspion”.

Estava procurando evitar jogos do SD Gundam, porque não representam nenhum universo dos heróis em si, mas abri uma exceção para este simplesmente pela presença de uma porrada de personagens, alguns deles com uma grande notoriedade no Brasil, tais como:


Sim, caro leitor! O policial Jiban, Metalder, Kamen Riders(sim, mais de um), Ultraman, o robô Gundam, dentre outros num só game, num estilo que lembra os jogos de Megaman, incluindo opção de por qual das 8 fases você deve iniciar. Poderia ser mais épico se não fossem certos problemas:

Metalder, cabeça amassada!

Pra começar, os gráficos dos SD Metal Heros, assim como dos inimigos, ficam um tanto confusos, ajudados também pela fraca palheta de cores. Certo que o Nes não é nenhum grande exemplo em cores, mas é nítido, se compararmos com vários títulos do console, que poderiam fazer um trabalho melhor. Acreditem, tive trabalho na hora de por screenshots aqui, pois em muitas delas o gráfico era tão escroto que ficava difícil entender o que era o personagem na tela. Pra completar, durante os pulos os heróis ficam falando porcarias que só deixam a tela mais tosca.

Jiban encara um chefe

Isso seria um Gundam

A jogabilidade também não ajuda muito, principalmente em momentos onde é necessário ter reações rápidas. Os inimigos por muitas vezes acabam te atingindo por serem necessários muitos golpes pra derrubá-los, e alguns deles, por nenhum bom motivos, parecem imortais, como um certo inimigo voador que fiquei um tempão golpeando até ele acabar com meu boneco. Felizmente o HP é grande e se acontecer de um inimigo não quiser morrer, passe direto que é o melhor a se fazer.

O que poderia ser o maior atrativo do jogo acaba em alguns momentos também sendo frustrante: A escolha dos personagens. Você não tem controle sobre quem controla. Na seleção de fases mostra com quem você vai jogar num determinado estágio, mas há bem mais heróis dos que aparecem naquela tela. Você terá de trocar de personagem pegando itens durante a fase, e o item nem pergunta para qual personagem queres trocar, e pior ainda, as vezes não dá nem pra perceber com quando este item aparece, geralmente deixado por inimigos. Numa só fase, eu comecei jogando com um herói que não conhecia, troquei pro Jiban, 10 segundos depois já estava com o Metalder, e em mais10 segundos já tinha voltado a o herói inicial. Cara que coisa chata, porque essa porcaria não coloca uma tela de seleção pra gente ao invés dessa escolha aleatória ridícula.

Kamen Rider seja lá qual for

Game Over com incentivo a Hentai

E se acham que acabou, enganam-se, porque o soundtrack é repetitivo pra CARAHO, o que acaba fazendo com que este título não seja nada além de uns caça-níqueis do passado, e sirva de curiosidade nos dias de hoje.





Euzinho no Nintendo Blast.

22 11 2009

Olá pessoal , semana de provas, sempre é dificil postar alguma coisa, mas quero destacar que agora também tenho uma coluna num grandes blog, o Nintendo Blast – http://www.nintendoblast.com.br/

Minha matéria de estréia fala sobre Castlevania 1, vejam como ficou:

http://www.nintendoblast.com.br/2009/11/blast-from-past-castlevania-nes.html





The Masked Rider: Kamen Rider Zo – PIOR dublagem de todos os tempos

17 11 2009

Vocês estavam sentindo falta dela? Mas ela está de VOLTA!!!!

COOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOM VOCÊSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS!!!!!!

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

BOOOOOOOOOOOMBAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

(CAMPIONATO BRSILENHO 96?!)

A BOMBA

A BOMBA

LA BUEMBA DE MÊS!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Título: The Masked Rider Kamen Rider Zo
Sistema: Sega CD
Em: 1993
by Bandai

Sim, vos trago mais Kamen Riders! Desta vez, Kamen Rider Zoologico…

Este meus amigos é um jogo tão ruim que vale a pena jogar pelo menos o começo pra rir dos fatos que ocorrem a todo segundo. O estilo do jogo é na linha de animação interativa tais como o clássico Dragon’s Lair ou Space Ace, mas este você não tem que adivinhar o movimento, o que não ajuda tanto a facilitar o jogo. Mas primeiro vamos assistir a abertura genial, onde um vilão surge de uma bicicleta acabada e um monte de sucata:


Na seqüência tomamos consciência que esta é uma produção japonesa e os americanos porcamente dublaram. Então uma cena com o Kamen Rider peladão tem problemas com pernilongos.

Kamen Rider peladão descansa

É aí que o jogo inicia. Na tela de opções você pode aumentar os continues até 5, e o nível de dificuldade. Mas não adianta colocar no easy, com 3 erros você já dá Game Over. O jogo é muito difícil, mas é uma dificuldade insuportável, pois todas asvezes que você põe um dos poucos continues é obrigado a assistir todas as partes do video. E então começa a fase 1, ou melhor batalha 1. É aí que você vai perceber o quão ruim é essa dublagem. Como se não bastasse os lábios deles se movimentarem falando japonês e saindo vozes americanas, a qualidade dos dubladores é de nível duvidoso. Apenas dêem o play neste video. A qualidade está horrenda, porque além de eu teer gravado do meu celular, o Sega CD não consegue fazer cideos em boa qualidade. Mas o que interessa é o audio, atentem:

Dá pra acreditar no que vocês acabaram de ver? Que tal assistirem mais uma vez. Vão lá e dêem o play de novo.

HAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA HAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA HAAAHAHAHAHAH!!!!!

CAAAARAAAAAHOOOOOO!!! São 3 crianças conversando, e os 2 amiguinhos coadjuvantes estão sendo dublados por marmanjões com mais de 30 anos!!!! Ou talvez seria o mesmo dublador pra os dois moleques?! E o pior de tudo, eles nem sequer tentam disfarçar as vozes!!!! Eles falam como se estivessem conversando no seu dia a dia!!!

Me perdoem mas tenho que assistir de novo! Esse é um video que merece ser visto todo dia pelo menos umas 3 vezes!!!!!!!

Se depois dessa cacetada você ainda conseguiu continuar jogando, o moleque sai correndo de uma bolinha do mal e você deve fazer as sequências de botões em poucos segundos para a barra de life não secar, que como eu disse 3 erros é game over, não tem vidas.

Corre MULEKI!

Bem o máximo que fui foi ao final da segunda batalha onde chega o Kamen Rider pra salvar o moleque do monstros que era a bolinha… BAH! Que saco isso! De qualquer maneira os fãs do(s) milhões de Kamen Riders provavelmente vão ter coragem de jogar este lixo atômico.

Kamen Rider Chegou!

Kamen Rider bate!

Kamen Rider leva

Kamen Rider se mata





Kamen Rider – O BIZÔRO MOTUKÊRU

14 11 2009

Kamen Rider 1

Título: Kamen Rider
Sistema: Super Nes
Em: 1993
by Bandai

Mais um dos jogos aprovados pelos moleques da locadora do bairro. O que tinha de negum jogando esse jogo não é brincadeira.

Kamen Rider 2

Cut Scenes com os Super Kamen Rider Bros.

Kamen Rider 8

YAAAAAAAAAAAAAY!

Assim como Gundam e Megaman, Kamen Rider é uma daquelas séries que existem milhares de versões e universos, e só quem acompanha de perto consegue entender o que é cada uma delas. O que há em comum em todas as séries é que o personagem principal é sempre um herói que se veste de inseto (doido) e anda de moto. Hoje já são babilhões de Kamen Riders, e a grande maioria dos consoles tem jogos com alguma série do personagem. Este joguinho para Super Nesda Bandai foi feito em cima da serie original, que é dos anos 70, e segue o estilo Beat’n’Up, ou seja tipo Final Fight, Streets of Rage.

O aspecto principal da série foi captada no jogo, isto é, é tudo um tanto quanto trash, como podem observar nestas imagens:

Kamen Rider 9

Kamen Rider 6

Apesar de serem conterrâneos, Kamen Rider e Godzilla não se bicam

Kamen Rider 5

Mr. M ensina Kamen Rider um de seus truques

Os gráficos são regulares, o som não chama muita atenção mas vale destacar a marchinha japonesa de abertura, bem típica dessas produções durante anos 70 e inicio de 80. O que realmente ajuda aqui é a jogabilidade, pois o controle do personagem é bem leve. Você começa controlando um dos irmãos KAmen Rider em sua identidade civil. Tome todo cuidado do mundo, pois enquanto não são Kamen Rider eles são muito fracotes e com poucas porradas acabam perdendo uma vida.

Kamen Rider 3

O herói encontra tempo pra dançar tango.

Kamen Rider 4

Tem muita enrrolação, agora vamos pra parte do henshin

Depois de socar alguns inimigos o botão X pode ser acionado e a famosa frase “HENSHIN” transforma você no besouro herói. Na forma de Kamen Rider fica bem melhor de jogar, o problema é que toda vez que você transforma é obrigado a assistir a animação da tranformação. Isto implica que quem estiver jogando no console pode acabar ficando de saco cheio por não ter uma tecla de acelerar pra aturar esse japonês chato repetindo a mesma coisa 20 vezes.

Kamen Rider 10

Número gay em pleno deserto. "It's fun to stay at the y-m-c-a!"

Bem, aturando o repetitivismo da tranformação e da pouca variedade de inimigos, é até jogável, mas não espere muita coisa deste título.





Cosmo Police Galivan – Ele é “Metal Hero” nas horas vagas

12 11 2009
ZZZ_UNK_cosmo_police_-_galivan_translated (262160)_01

Screenshot ficou fudido e eu não tive tempo de tirar outro

 

Título: Cosmo Police Galivan
Sistema: Nes
Em: 1988
by Nihon Bussan
ZZZ_UNK_cosmo_police_-_galivan_translated (262160)_03

ZZZ_UNK_cosmo_police_-_galivan_translated (262160)_04

Entrada totalmente metroid

Nunca ouvi falar dessa Nihon Busanfa… De qualquer maneira eis aqui um joguinho dificil, bem típico anos 80. Você encarna o tal Galivan, um membro da policial do cosmos, contra gangs de aliens vagabundos.

Na cola do Metroid: Com poucos minutos de jogo você perceberá que o jogo chupinha muita coisa de Metroid, mas para ficar menos descarado a arma principal é uma espada ao invés do tiro que é sub arma. O esquema é o mesmo da série inspiradora, ande por labirintos cavernas repleto de criaturas repugnantes, encontre armas especiais, e abra novos caminhos derrubando portas vermelhas. Pelo menos o Galivan ganha experiência e sobe de nível, ou seja, pra quem pensa que o Castlevania Synphony trouxe inovações, pense de novo, essas idéias já tinham sido aplicadas nos anos 80.

ZZZ_UNK_cosmo_police_-_galivan_translated (262160)_05

Use a força !!!

ZZZ_UNK_cosmo_police_-_galivan_translated (262160)_08

Quase herói: Como eu disse ele é um herói de metal. O problema é que nesse jogo o Galivan passa 80% do tempo na forma humana. Tudo porque pra vestir a armadura ele precisa juntar 8 itens com a letra P, que não são tão frequentes quanto deveriam ser. Pra completar depois de vestir a armadura, você todo alegre por estar mais forte e por poder rebater tiros dos inimigos, com poucos golpes ela vai embora e aí você tem que juntar tudo de novo. Bah!

Geral: Galivan segue na linha mediana – gráficos regulares, sons regulares, jogabilidade regular. O que mais se destaca mesmo é a alta dificuldade que podem fazer os jogadores mais inspirados ficarem horas tentando descobrir caminhos e derrotar certos inimigos. O que eu realmente sinto falta aqui são de tiros mais eficientes, a espada é fraca e o seu tiro de raio além de ser usado pra abrir portas, acaba muito rápido. Encare se gosta de um bom desafio.

ZZZ_UNK_cosmo_police_-_galivan_translated (262160)_09

Abaixe para conversar. "Galivan! Você Gozou!"

ZZZ_UNK_cosmo_police_-_galivan_translated (262160)_13

Enfim a armadura.

ZZZ_UNK_cosmo_police_-_galivan_translated (262160)_15

Agora eu sei de onde vieram as cobras inimigos na fase do Snake Man





Gekisou Sentai Car Rangers – Carros que salvam o mundo?!?!

10 11 2009

Gekisou Sentai Car Rangers 1

Título: Gekisou Sentai Car Rangers
Sistema: Super Nes
Em: 1996
Produzido por Bandai

02

Eles aparecem normais no fim da fase, mas durante são SDS

Car Rangers é uma série de sentai com uma temática bizarra que desde de o uniforme dos heróis, alguns ataques e até no robô gigante há referências a carros. Apesar desse lado trash, a série fez um grande sucesso por lá, talvez devido ao carisma do elenco, assima da média para uma produção deste naipe, ou talvez pelo roteirista conseguir desenrolar bem a trama (também não posso confirmar, porque não vi quase nada destas séries). De qualquer maneira, Car Rangers foi comprado pelo time de sentais americanos entitulados Power Rangers, dessa vez rebatizando de Power Rangers Turbo, em que o azul sofria tranformações no seu corpo assim como a amarela e o vermelho na primeira série. Dessa vez o azul que era uma criança de repente crescia.

04

Quanto ao jogo, sai de cena a Angel e assume agora quem assume a produção é a Bandai, que surpreendetemente fez um bom jogo, até melhor que os dois anteriores mencionados neste mês. A impressão que se dá jogando Car Rangers é que deram uma melhorada no jogo dos Zyuurangers e adicionaram alguns elementos dos Jet Man.

05

Esse chato te persegue o tempo todo

Os 5 Rangers podem ser escolhidos livremente em qualquer fase, cada um deles trás ataques ou habilidades exclusivas, como por exemplo a espada do vermelho, pulo duplo da rosa, a rasteira do azul e o poder de flutuar do verde. No geral todos são rápidos e tem bons ataques, fica a seu critério decidir o favorito. Os especiais são iguais para todos, ou com a invocação de um super veículo que atropela os inimigos, ou a bazooka laser.

03

Especialzão

Os gráficos não chamam muita atenção, mas cumprem sua parte, são coloridos e com boa animação, bem no estilo do Snes. E falando em estilo, os cenários dos chefes são os típicos cenários desertos onde acontecem as batalhas com monstros nestas séries de sentai.

04a

Sentai sem espada não é sentai

Sons e trilha sonora são simples, mas também cumprem sua parte, sabem como é, nada que você vá se lembrar amanhã, mas não te incomoda durante a partida.

A parte mais fraca fica no desafio, seu personagem demora muito para perder uma vida, e os itens especiais são muito fortes, apesar de durar pouco. Ou seja, quem cresceu jogando nes e atari vai se decepcionar, a geração de fracot… digo, do Play Station deve gostar mais.

Resumindo, perca umas 2 horas da sua vida com Car Rangers, que com certeza será uma boa distração.

06

07