DS Numbers! O maior pequeno hardware de todos os tempos.

31 01 2010

Podem aplaudir meus amigos não é pra qualquer um.  A família NDS acaba de se tornar o hardware mais vendido de todos os tempos com mais de 125.13 milhões de unidades vendidas e claro, os números continuam crescendo. Sabem o que é vender mais que a família Game Boy, mais que Play Station 2, mais que NES?! É muita coisa!

Só por curiosidade, o Wii também ultrapassou o recorde do meu console favorito NES, com mais de 67.45 milhões de unidades vendidas.  Pra quem já viveu essa época de glória da Nintendo no passado, especialmente do 8bits,  e teve que se dedicar a outras produtoras  pra não amargar o  insoso 64 e o morno Game Cube… É como um Dejavu





No tempo em que as revistas eram legais – Round 2

28 01 2010

Ação Games e VideoGame foram as primeiras revistas que tive notícia a serem distribuídas pelo país. Tive meu primeiro contato com a Ação Games quando ainda era um edição especial da revista “A Semana em Ação”.

Mas os leitores não davam trégua a nenhuma das duas publicações, com vocês agora a sessão de cartas da Ação Games:

Olha que isso faz muito sentido! Um cartucho de Master que funciona num clone do Nes….

Ah não, mais adaptadores imaginários e impossíveis. Pensem num adaptador de Mega Drive pra rodar num Nintendo 8 bits?! Vamos melhorar a situação:
Não basta criar os adaptadores imaginários entre consoles, agora querem um adaptador de cartuchos de videogame para serem usados num MSX. A coisa poderia ficar pior? Sim, poderia:
AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!! UM ATARI COM ADAPTADOR PRA CONSOLES DE  8 E 16 BITS!!!! NÃONÃONÃONÃONÃONÃONÃO, MELHOR AINDA!!! ADAPTADOR DE NEOGEO PRA ATARI!!!! NINGUÉM MERECE!!! PRÓXIMO!!

Inteligência artificial. Esse é o grande segredo dos consoles de 8 bits, por isso tinham tantos jogos com truques. Os próprios cartuchos criavam seus truques para desafiar a inteligência dos humanos. NEXT!

Deixa eu ver se eu entendo esta criatura. Ele terminou o jogo e quer que novas fases apareçam? Você vive numa época onde pacotes de expansão e downloads não existem amigo, portanto, deixe de fantasiar besteiras.

Obviamente guardei o pior para o final. Antes de ler, guardem bem este nome: LOURIVAL, este sujeito vai mudar sua concepção sobre games após a leitura da épica epístola abaixo.


AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAAH
ELE PROCURAVA AS LETRAS DA PASSWORD NO JOYSTICK!!!!
AAAAAAAAAAAAAAAAAA AAHAHAAHHAAHAHAHAHAHAHAHAHAHA





No tempo que as revistas eram legais…

26 01 2010

Começo hoje aqui uma sessão onde pretendo comentar a nostalgia e as bizarrices encontradas nas revistas de videogame do passado, que eram nossa única alternativa em busca de dicas quando não existiam fóruns ou gamefaqs.

Como tema inicial, vou destacar as cartas enviadas para as primeiras edições da clássica  revista VideoGame. Ela era minha favorita, não sei se porque foi a primeira que tive contato, ou porque ela estava cheia de desenhos engraçadinhos como este:

É interessante, na época do Atari tudo era muito limitado e os jogos eram quase todos infinitos e quase sem cenários. Com a popularização dos 8 bits ficava clara a definição pra saber o que acontecia na tela e de quem você era. Nesta carta por exemplo o que hoje parece simples pra alguns,  já foi chamado de alta resolução.

Era claro que a maioria não entendia que a época do 8 bits, especialmente as vendas em massa do Nes do Japão e Estados Unidos, foram a maior revolução do mercado de todos os tempos, muita gente ainda tentava encontrar um pouco do que foi o Atari2600 ali. Um exemplo disso, é este leitor que pergunta o que é save e load, algo praticamente obrigatório em todos os jogos atuais, era uma novidade.

Alguns que não manjavam nada da coisa tentavam se misturar, e acabavam soltando pérolas. Jogando Castlevania 2, o sujeito viu um ser que lhe chamou atenção.

Não sei porque ele ficou tão chocado com o fantasma verde, pois existem milhares deles durante as noites na cidade, vai se saber o que passou pela cabeça dele. “Olha, um fantasma! E é verde! Mas fantasmas são brancos! Então deve ser um fantasma especial amigo!”
Por conta de tanta novidade, muitos moleques começaram a viajar demais e alguns até se perdiam. Muitos queriam ter Nes e Master mas a maioria dos pais tradicionalmente costumavam comprar apenas um console. Talvez por conta disso alguns começaram a espalhar cartas como esta.

Reparem que ele inventou que existia um adaptador, algo impossível, e acreditou na sua própria mentira ou fantasia, tanto acreditou que mandou uma carta pro Brasil inteiro ver. O pior é que em edições posteriores viriam mais cartas com a mesma pergunta sobre adaptadores master/nes ou nes/master.

Mas quem estava ainda com Atari morria de inveja dos “super acessórios” principalmente o óculos e a pistola.

Vejam, ele tinha esperança que um dia viessem a fazer um jogo para ele usar a pistola ou o óculos no pobre 2600… Mas pelo menos nesse caso a revista avisou antes que o sujeito comprasse a pistola e viesse a pagar de idiota para o país inteiro ver. Mas acreditem, existiram MAIS DE UM CASO, onde a merda estava feita e eles mostraram a besteira pra todo mundo:

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH!!!!
Não, não tem como responder perguntas como esta de forma séria, esses caras da Videogame eram uns santos. Talvez querendo zoar com o nível da pérola ali públicada, ele fizeram um desenho de Lig, o mascote da revista, satirizando a situação.

Mas a IDIOTICE maior que um game nerd pode apresentar infelizmente continua nos dias de hoje, na verdade até piorou. Claro que estou falando de gente que perde tempo fazendo console wars. Esta praga, que eu já vi fazer gente de quase 30 anos ficar feito moleque amarelo se trocando, xingando a toa, ou até inventando que não gosta de um jogo ou outro pra tentar parecer melhor com seu console. No exemplo, abaixo temos o que seriam raízes desse verdadeiro problema mental de certos gamers, de forma bem mais leve do que certas pessoas fazem hoje em dia é claro.

Uma última carta pra encerrar, vejam como um boato pode se espalhar. Normalmente esse tipo de coisa aparece nas locadoras e publicações “engraçadinhas”, tais como jogar com Sheng Long no Street Fighter II ou liberar o “Cabeça de Alho” no Mortal Kombat II. Um boato que correu por volta de 1991 é que a SEGA estaria planejando o sucessor do Mega Drive. Se o anterior era Mega, então o próximo deve ser Giga! ELE ACREDITOU!!!!

Fiquem ligados amigos, a Capcom vai anunciar também Giga Man, o sucessor de Mega Man.





Random WII Videos

23 01 2010

Primeira tradução não oficial para Wii

Foi disponibilizado esta semana a primeira tradução não oficial para inglês  de um jogo de Wii.

Trata-se do quarto episódio da já conhecida série Fatal Frame.

O jogo, exclusivo de Wii, já estava disponível a mais de um ano em japonês.

Faça o download do patch aqui http://zero4.higashinoeden.com/index.html

Coelhos tirando onda com vampiros emos

É o comercial do puzzle da Ubisoft Rabids Go Home

Punch out – Old vs New

Isso deixa o novo jogo mais retro ainda

A luta de Glass JOE

Treinamento versão NES e versão WII

Ainda no Punch-out, olha quem é o convidado especial do jogo.





Platinum Games (Clover Studio) – Outra grande empresa atual

21 01 2010

O estúdio Clover foi fundado em 2004 pela Capcom japonesa e foi responsável por alguns dos jogos mais legais vistos recentemente. A empresa tinha nomes de peso como Shinji Mikami(criador de Resident Evil e Devil May Cry) e Atsushi Inaba.

A estréia deles foi no Game Cube com Viewtiful Joe, jogo que algum tempo depois foi convertido para Play Station 2 e ganhou uma continuação para os dois consoles.

Joe além de ser um tipo de paródia de heróis japoneses, trouxe de volta a essência de bater em tudo que se meche.

No ano de 2006, eles trouxeram para o Play Station 2 duas formas de arte, a arte da mitologia japonesa, e a arte de dar porrada e estraçalhar seus inimigos. Estou falando de um dos melhores e mais criativos jogos da década, Okami (que pouco depois foi convertido para Nintendo Wii) e God Hand, um jogo inspirado por Hokuto no Ken e vários Beat’n’Up dos anos 80 e 90.

A versão americana do videogame dito "adulto" (PS2) foi totalmente censurada

Apesar dos ótimos jogos, a Capcom resolveu dar uma de viúva negra e acabar com o Clover ainda em 2006, e safada como é ficou com as licenças de Okami, Joe e God Hand.

Símbolos da Clover Studio

Mas no ano seguinte, eles ressurgiram das cinzas como Platinum Games, dessa vez trabalhando para SEGA, e na minha opnião está fazendo a SEGA voltar aos bons tempos.

A Platinum começou colocando no mercado o que eu vejo como a evolução do GOD HAND, o título para Nintendo Wii, Mad World. Diferente da versão americana do God Hand, Mad World veio sangrento, trash e cruel como deve ser, e no lugar de Hokuto, a inspiração deles foi Frank Miller.

Logo depois vieram um título para Nintendo DS e outro para 360/PS3.

O NDS recebeu um ótimo RPG futurista chamado Infinity Space que vai ganhar versão americana em Março e ao que parece já estão trabalhando num segundo episódio.

Já os videogames em HD já receberam aquele que é o melhor jogo de ação em 3d que eu já joguei – Bayonetta. A jogabilidade de Bayonetta é tão boa que faz com que jogos como Devil May Cry pareçam totalmente ultrapassados.

Logo mais conheceremos um novo título da Platinum Games, e também está sendo especulado uma continuação para Mad World. O certo é que com certeza teremos ótimos jogos vindos deles.





Level 5 – Uma das melhores produtoras de jogos atuais

19 01 2010

Não confundir com Factor 5.

Pra quem não conhece, Level 5 é uma empresa japonesa independente. Na época do PS2 eles produziram alguns ótimos jogos pra Sony, mas com o sucesso do Nintendo DS e o maior sucesso da Level 5 ter sido Professor Layton, eles acabaram por se aproximar mais do console da Nintendo.

Os sucessos no Play Station 2

Dark Cloud

O primeiro jogo da Level 5 a ganahr um bom destaque de vendas, crítica e público foi o RPG de ação Dark Cloud em 2000, que teve uma continuação ainda no PS2.

Manter bons gráficos e fidelidade as raízes - É o que todos deveriam fazer.

O maior símbolo da Enix, a série Dragon Quest, acabou ganhando sua primeira versão em 3d pelas mãos da Level 5, Dragon Quest 8 foi produzido em 2004 com a supervisão do time original, e diferente dos Final Fantasy em 3d, acabou sendo fiel a suas raízes, dando vida nova a série.

Mas o sucesso maior do PS2 foi Rogue Galaxy, um jogo que demorou um bocado pra sair do Japão, mas veio com extras exclusivos na versão ocidental. Rogue Galaxy é tudo que se espera de um bom RPG que não conseguimos encontrar em certos títulos ditos “pop”:  combinar bons gráficos e liberdade de exploração com um roteiro bem desenvolvido, personagens carismáticos e um sistema de batalhas que funciona.

Rogue Galaxy: Provavel melhor RPG para PS2

A partir daí a empresa deixava de ser uma pequena produtora. Mas eles ainda teriam muito mais pra oferecer.

Mais lucros com duas telas

Antes de partir para o NDS, eles fizeram um ótimo título pra PSP chamado Jeanne d’Arc, um RPG estilo táticas.

Jeanne d'Arc - Eles são bons de Tactics também

Partindo pro  NDS, eles queriam buscar novas fórmulas, mas sem esquecer dos RPGS é claro.

A idéia do primeiro Professor Layton partiu de tentar fazer um jogo que consiga unir diversão com educação. Alguns já conseguiram isso, mas nenhum conseguiu fazer disso um grande sucesso. Professor Layton é um jogo que tem um arte primorosa, animações comparáveis ao do  estúdio Ghibli do mestre Hayou Miyazaki(dispensa apresentações, quantas animações japonesas vocês acham que ganham um Oscar?!), e um roteiro tão bizarro quanto brilhante, que tem um dos finais mais surpreeendentes dos últimos tempos. Tudo isso pra um jogo de Puzzle com exercícios de raciocínio lógico.

Uma história pessoal minha interessante, quando eu estava jogando o primeiro Layton eu tinha acabado de entrar pra faculdade e logo no primeiro dia tivemos um exercício idêntico ao que tinha resolvido no Layton.

Meu professor fez isso no primeiro dia da faculdade

No próximo semestre vou ter uma cadeira exclusiva pra raciocínio, imagina por onde eu posso estudar. Também usei Layton quando estudava pra um concurso público em que havia questões de raciocínio lógico.

Hoje já são 4 jogos de Layton no Japão e 2 nos Estados Unidos, a versão americana do terceiro já está encomendade para este ano.

Depois a parceira com Square Enix voltou e a Level 5 produziu aquele que foi o jogo mais vendido do ano passado – Dragon Quest 9, para NDS. Versão americana para este ano com o subtítulo Protectors of the Sky.

Também a cerca de um ano a própria Level 5 fez um evento pra promover seus sucessos e pelo fato do seu maior sucesso ter vindo com o DS, mais de 8 jogos foram anunciados para o console, mas devo destacar 3 :

* Another World – O estúdio Ghibli gostou tanto de Layton que fez uma parceria para um novo jogo com a Level 5. Pela primeira vez veremos um jogo de RPG animado pelo estúdio de Miyazaki.

Um jogo pelo estúdio de Hayou Miyazaki

* Fantasy Life – Um título que originalmente era planejado para Xbox. Fantasy Life  terá músicas de Nobuo Uematsu de Final Fantasy.

* Inazuma Eleven- Um dos jogos mais vendidos também em 2009.  Algo improvável que deu certo – RPG de futebol (?!?!?). Versão americana já encomendada.

Professor Layton da telinha pra telona

Querem mais? Professor Layton também foi transformado numa animação de longa metragem. Quem poderia imaginar que um puzzle poderia ser levado aos cinemas? Deixo vocês com o trailer do filme de Professor Layton.





Me Twittem e sejam felizes

18 01 2010

http://twitter.com/ThiagoBarros111

Imagem da Peach de fio dental só pra chamar atenção e aumentar ibope