No tempo que as revistas eram legais…

26 01 2010

Começo hoje aqui uma sessão onde pretendo comentar a nostalgia e as bizarrices encontradas nas revistas de videogame do passado, que eram nossa única alternativa em busca de dicas quando não existiam fóruns ou gamefaqs.

Como tema inicial, vou destacar as cartas enviadas para as primeiras edições da clássica  revista VideoGame. Ela era minha favorita, não sei se porque foi a primeira que tive contato, ou porque ela estava cheia de desenhos engraçadinhos como este:

É interessante, na época do Atari tudo era muito limitado e os jogos eram quase todos infinitos e quase sem cenários. Com a popularização dos 8 bits ficava clara a definição pra saber o que acontecia na tela e de quem você era. Nesta carta por exemplo o que hoje parece simples pra alguns,  já foi chamado de alta resolução.

Era claro que a maioria não entendia que a época do 8 bits, especialmente as vendas em massa do Nes do Japão e Estados Unidos, foram a maior revolução do mercado de todos os tempos, muita gente ainda tentava encontrar um pouco do que foi o Atari2600 ali. Um exemplo disso, é este leitor que pergunta o que é save e load, algo praticamente obrigatório em todos os jogos atuais, era uma novidade.

Alguns que não manjavam nada da coisa tentavam se misturar, e acabavam soltando pérolas. Jogando Castlevania 2, o sujeito viu um ser que lhe chamou atenção.

Não sei porque ele ficou tão chocado com o fantasma verde, pois existem milhares deles durante as noites na cidade, vai se saber o que passou pela cabeça dele. “Olha, um fantasma! E é verde! Mas fantasmas são brancos! Então deve ser um fantasma especial amigo!”
Por conta de tanta novidade, muitos moleques começaram a viajar demais e alguns até se perdiam. Muitos queriam ter Nes e Master mas a maioria dos pais tradicionalmente costumavam comprar apenas um console. Talvez por conta disso alguns começaram a espalhar cartas como esta.

Reparem que ele inventou que existia um adaptador, algo impossível, e acreditou na sua própria mentira ou fantasia, tanto acreditou que mandou uma carta pro Brasil inteiro ver. O pior é que em edições posteriores viriam mais cartas com a mesma pergunta sobre adaptadores master/nes ou nes/master.

Mas quem estava ainda com Atari morria de inveja dos “super acessórios” principalmente o óculos e a pistola.

Vejam, ele tinha esperança que um dia viessem a fazer um jogo para ele usar a pistola ou o óculos no pobre 2600… Mas pelo menos nesse caso a revista avisou antes que o sujeito comprasse a pistola e viesse a pagar de idiota para o país inteiro ver. Mas acreditem, existiram MAIS DE UM CASO, onde a merda estava feita e eles mostraram a besteira pra todo mundo:

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH!!!!
Não, não tem como responder perguntas como esta de forma séria, esses caras da Videogame eram uns santos. Talvez querendo zoar com o nível da pérola ali públicada, ele fizeram um desenho de Lig, o mascote da revista, satirizando a situação.

Mas a IDIOTICE maior que um game nerd pode apresentar infelizmente continua nos dias de hoje, na verdade até piorou. Claro que estou falando de gente que perde tempo fazendo console wars. Esta praga, que eu já vi fazer gente de quase 30 anos ficar feito moleque amarelo se trocando, xingando a toa, ou até inventando que não gosta de um jogo ou outro pra tentar parecer melhor com seu console. No exemplo, abaixo temos o que seriam raízes desse verdadeiro problema mental de certos gamers, de forma bem mais leve do que certas pessoas fazem hoje em dia é claro.

Uma última carta pra encerrar, vejam como um boato pode se espalhar. Normalmente esse tipo de coisa aparece nas locadoras e publicações “engraçadinhas”, tais como jogar com Sheng Long no Street Fighter II ou liberar o “Cabeça de Alho” no Mortal Kombat II. Um boato que correu por volta de 1991 é que a SEGA estaria planejando o sucessor do Mega Drive. Se o anterior era Mega, então o próximo deve ser Giga! ELE ACREDITOU!!!!

Fiquem ligados amigos, a Capcom vai anunciar também Giga Man, o sucessor de Mega Man.

Publicidade