Continuações e Adaptações dos jogos Disney Capcom

29 06 2009

Pra encerrar, listo aqui outros jogos da Capcom Disney que são variações dos mesmos produtos como eu costumo falar. Abaixo também listo adaptações dos jogos do Nes para Game Boy.

Chip 'n Dale Rescue Rangers 2 (U)_01

Chip’n’Dale 2 – Me perdoem os fãs dos Rescue Rangers, mas acho esse jogo um grande FAIL. Não chega nem aos pés do orginal ficando com odestaque apenas os gráficos melhores, especialmente nos personagens títulos. Mas infelizmente carece de criatividade e está recheado de músicas insuportáveis.
Magical Quest2_00000Magical Quest3_00000
Magical Quest 2 e 3 – O 2 tmabém chamado de The Great Circus Mystery. Mantiveram o bom nível da versão original, diria que até melhoraram todos os aspectos. Em ambos é possível jogar com dois jogadores na tela, no caso do 2, Minnie, a versão traveco do Mickey e Donald no 3. Acho o 3 a melhor versão, com uma trilha sonora que é uma obra de arte, a melhor dos jogos Capcom Disney no Snes. Foi adaptado também para GBA.

Abaixo estão os jogos para Game Boy clássico, que são adaptações dos jogos do Nes.
Duck Tales
Duck Tales – Ficou muito pior. Efeitos sonoros e músicas mal adaptadas, cenários de estrutura esquisita e jogabilidade inferior ao original. Serve como complemento ou pra matar a vontade de quem não está com acesso ao original.
Little_Mermaid,_The
The Little Mermaid – Pioraram as músicas e um pouco os gráficos. O resto conseguiram manter o nível.
Tale_SpinTale Spin – Percebe-se uma considerável perda de velocidade. O resto chega bem próximo do original.
Darkwing Duck
Darkwing Duck – Surpreendentemente eu diria que este está do mesmo nível do original, tanto a trilha sonora quanto a velocidade e jogabilidade. Algumas partes da estrutura foram modificadas pra se adaptar a telinha, mas são quase impercepitíveis.

Duck Tales 2Duck Tales 2b

Duck Tales 2 – Se não se importar com a falta de cores, diria que este está até melhor que o original de Nes. Mais detalhes foram adicionados como cutscenes e muitas outras coisinhas legais. A uma melhor organização dos menus e na lojinha também.

E este foi o mês da Capcom Disney. Pros fãs da Disney, aguardem que ainda pretendo fazer este ano o mês da Sega Disney.

Anúncios




Bonkers – A despedida do estilo Nes da Disney

29 06 2009

Bonkers 1

Título: Bonkers
Sistema: Super Nes
Em: 1994
by Capcom
Bonkers 3

Roteiro: Desenhos animados e pessoas convivem  no dia a dia pelo menos e Hollywood. Nesse universo bizarro o policial humano Lucky e o policial de desenho Bonkers desvendam os crimes e mistérios nos estúdios dos desenhos. Pra não existir um modo de 2 Players eles inventaram que Lucky sofreu um acidente e está todo quebrado e o BOnkers vai desvendar o maior roubo do museu dos filmes de desenhos – O chapéu do Mickey de Fantasia, a voz da Pequena Sereia e a Lâmpada do Aladdin.

Sempre que o coelho Mané aparecer estoure uma bomba nele.

Sempre que o coelho Mané aparecer estoure uma bomba nele.

A lógica cartoon, ou falta dela prevalece. Objetos ganham vida.

A lógica cartoon, ou falta dela prevalece. Objetos ganham vida.

Mais um desenho desenho que eu não gosto da Disney que eu lembro parecer uma tentativa de recriar(leia-se imitar) o MAGAvilhoso Roger Rabbit. Bonkers ganhou um jogo para Mega Drive e outro para Snes, e o de Mega, ficou inferior de novo, nestes combates de versões dos jogos Disney o Mega ganha apenas em Aladdin.

Momento Castelo da Ilusão

Momento Castelo da Ilusão

Emplacado os sucessos no 8 bits, jogos como Duck Tales, Chip’N’Dale, The Little Mermaid, Darkwing Duck traziam o time de sucessos da Capcom, criando um tipo de mistura de Megaman com filmes da Disney. Ao mudar para plataforma de 16 bits a Capcom parecia querer dar uma nova identidade ao estilo Capcom Disney, conseguiu destacar jogos como Goof Troop que fugia totalmente do estilo do Nes, e a trilogia Magical Quest que apesar de ser estilo plataforma, trazia novidades, dando uma cara de jogo moderno pra época. Porém a mesma Capcom foi criticada com Aladdin, parecendo um jogo onde os criadores estavam acomodados por implacar facilmente sucessos.

Bonkers 7

!!!!!!

!!!!!!

Se me lembro bem, Bonkers, em 1994, foi o último jogo da Capcom Disney, sem contar em 1995 onde foi lançado o terceiro Magical Quest, mas esteera uma variação do mesmo produto já emplacado anteriormente em duas versões. Ao invés de tentar criar, ou trazer mais novidades pro estilo Capcom / Disney, Bonkers tenta trazer de volta, ou até marcar uma despedida, daquele estilo comum nos jogos mencionados do Nes. Aqui você encontra tudo aquilo que marcou aqueles jogos: pulinhos e plataformas típicas da Capcom, jogabilidade simples, com poucos movimentos, mas eficientes e aquele jazz e blues típico da Capcom que, pelo menos pra mim, fizeram falta aos jogos do Snes, tudo isso com quase a mesma qualidade dos velhos sucessos.

Até sinuca vira inimigo aqui

Até sinuca vira inimigo aqui

Eu disse QUASE! Bem, Bonkers não consegue ser melhor que os jogos que mencionei do Nes. Os movimentos de bonkers são o tradicinal pulinho, atirar bombas, e um Dash. Há um pequeno problema de precisão com as bombas, mas o que mais me incomoda é o Dash que além de não ser um movimento fácil de controlar, demora a carregar e pode chegar a testar sua paciência. Os gráficos são bonitos, com muitas variações de cenários em cada fase, falta apenas um pouco mais de criatividade na estrutura. Uma pequena novidade é você poder evoluir a barra de HP e o número de bombas coletando itens, distintivos para bombas e corações(Zelda?!) pra o HP.

Esse aí só apanha quando não estiver com a mão na cara

Esse aí só apanha quando não estiver com a mão na cara

Bonkers pode não ser aquele jogo da Capcom Disney que você vai recordar sempre, mas com certeza vai trazer lembranças da época em que eles eram novidades.





Alladin – Venha Dindin!

27 06 2009

Título: Alladin
Sistema: Super Nes
Em: 1993
by Capcom

"Correr  dos guardas malvados!"

"Correr dos guardas malvados!"

Príncipe Ali é Esse Aqui e é da Capcom ;p

Essa foi muito ruim!

Esse jogo mostra como uma empresa maior e melhor pode falhar as vezes.

Aladdin 3Deixando claro que esse jogo não é ruim, trás gráficos bonitinhos, som decente (sendo 3 músicas vindas do filme) e uma jogabilidade simples e fácil. O roteiro tenta captar a maioria dos momentos importantes do filme como as perseguições dos guardas, a caverna das maravilhas, a lâmpada e até um Bonus Stage romântico “A Whole New World”.

Lembram deste terr...  vendedor?!

Lembram deste terr... vendedor?!

Aladdin 5

Its BONUS TIME!

Its BONUS TIME!

Algumas vezes fica claro que faltou um pouco de criatividade da parte dos programadores, como alguns inimigos sem graça(vazos com pés de galinha?!), fases nada haver com o filme(pirâmide?! podiam ter feito uma fase na neve porque o Jaffar mandou o Alladin pra lá antes da última batalha, lembram?!), e a fase da lâmpada nada haver também onde aparecem mais nuvens que aquele ambiente louco do filme.

Aladdin 6

Isso é a fase da lâmpada?!

Isso é a fase da lâmpada?!

O problema é que a Capcom, que costuma fazer jogos memoráveis, estava transformando um desenho Blockbuster num jogo mediano. Enquanto isso do outro lado do mundo, a Virgin, notória fazedora de merdas como Global Gladiators(Aqueles moleques da Mac Donalds), conseguiu fazer o único jogo memorável da sua carreira – Alladin para Mega Drive. Mesmo tendo um sistema superior, a versão de Alladin para Super Nintendo ficou pior em todos os aspectos, inclusive graficamente o Mega Drive era comparável aos desenhos do filme de tão bem feitos.

Enfrente o Jaffar... com pulinhos! Ou seria aquela cobra da fase do Snake Man?!

Enfrente o Jaffar... com pulinhos! Ou seria aquela cobra da fase do Snake Man?!

Outro aspecto que é constantemente incluso como frustração dos fãs do Super Nintendo é que o jogo para Mega mostrava um Alladin com muito mais ação, armado com espada(aquela que ele usa só no final do filme), e no Snes apenas jogava maçãs e dava pulinhos na cabeça.

De qualquer maneira, quem quiser um joguinho descompromissado pode dar uma jogada nesse Alladin para Snes.

A  Roli  Niu Uorrrrd!

A Roli Niu Uorrrrd!





Michael Jackson – Homenagem com Games

26 06 2009

Interrompendo o tema do mês com a notícia da morte do Michael.

Aqui faço uma singela homenagem misturando com jogos alguns sucessos do Jackson.

Começando com uma fase do Mega Hit do Nintendo DS, Elite Beat Agents, em que a música é ABC dos Jackson 5:

Abaixo mostro remixes, eu diria, mixes de músicas do ouriço azul sonic com sucessos Beat it e Thriller

Mas ao que parece as ligações de Michael com o Sonic eram maiores do que parecem. Supostamente a SEGA teria o convidado para compor músicas para Sonic the Hedgeog 3, mas devido aos escandalos ele teria se disfarçado com um code nome nos créditos. Acompanhem neste pequeno documentário:

E claro seus jogos:





Magical Quest – Uma trilogia do Mickey

23 06 2009
"Vamos fazer seu exame de próstata", disse o velho.

"Vamos fazer seu exame de próstata", disse o velho.

Título: Magical Quest
Sistema: Super Nes
Em: 1992
by Capcom

Este jogo de plataformas que na época foi disputado a tapas nas locadoras é estrelado pelos personagens mais clássicos da Disney, ou seja Mickey e sua turma.

Mickeyana Jones

Mickeyana Jones

Num dia onde todos se divertiam, durante uma sessão de brincadeiras co Pluto o cachorro não evoluído (Pateta é um cachorro evoluído ;p) desaparece. Mesmo com conselhos de amigo Pateta para não se preocupar, Mickey acaba por ir atrás do seu cão e descobre que ele foi parar num outro mundo dominado por um certo Feiticeiro Bafo de Onça… É, de novo ele…

Magical Quest 5
O jogo: Apesar de no início você não ter muitos recursos além do manjado pulinha na cabeça e agarrar tijolos e outras coisas pra atirar, ao passar das fases você adiquire roupas que dão mais poderes ao camundongo (que palavras legal de dizer! CAMUNDONGO! CAMUNDONGO! CAMUNDOOOONGO!!!). As roupas especiais são:

Mickey Terroris... Árabe

Mickey Terroris... Árabe

Mickey: Só agarra tijolinhos e inimigos tontos.

Feiticeiro Árabe: Dispara tiros, não morre afogado e controla tapetes voadores.

Bombeiro:  Ataca com água, é o único que ataca inimigos de fogo e empurra blocos pesados.

Escalador: Agarra nos blocos e sobe com a cordinha.

Atente sempre qual a melhor roupa pra cada situação da fase, especialmente para chefes e também sub-chefes que estão presentes em todas as fases. Eu achava massa essa época quando tinham jogos com subchefes e vocês?

Esse cara sempre aparece como sub-chefe

Esse cara sempre aparece como sub-chefe

Magical Quest 6
Os gráficos de Magical Quest são bonitos e bem fantasiosos como cenários no céu, florestas encantadas e muitas criaturas esquisitas. A trilha sonora acompanha muito bem o clima do jogo, apesar de não serem tão memoráveis. O desafio é de nível médio, só não subestime certos inimigos, ou você pode tomar um GAME OVER de repente (como eu fiz, nem notei que as vidas tinham acabado da primeira vez).

Magical Quest 7

Que conveniente, o poder do bombeiro estar na fase do fogo.

Que conveniente, o poder do bombeiro estar na fase do fogo.

Magical Quest fez um grande sucesso, ganhando duas continuações e conversões pra GBA. Ainda pretendo comentar sobre as continuações até o fim deste mÊs.





Goof Troop – A Turma do PaZelda

19 06 2009

Goof Troop 1

Título: Goof Troop
Sistema: Super Nes
Em: 1993
by Capcom

Até conversinha com moradores tem.

Até conversinha com moradores tem.

Roteiro: O amigo do Pato Donald e do Mickey teve um filho e mudou de cidade. Por coincidência, o amigo/rival Pete(Bafo de Onça)também teve um filho se mudou pra mesma cidade, e ainda por cima acabaram se tornando vizinhos. A convivência desses e suas famílias é o tema principal do desenho Goof Troop. Já o roteiro do jogo mostra um dia em que Goof e Pete levam seus filhos Max e PJ pra pescar. De repente os gordos Pete e PJ somem. Procurando saber o que aconteceu, Goof e Max descobrem uma ilha onde os moradores falam sobre o ataque do Pirata Pete…

Goof Troop 3

O jogo: Fugindo um pouco do estilo de plataforma/ação que dominou praticamente todos os jogos da Capcom/Disney, dessa vez resolveram fazer um jogo onde se é possível andar livremente pelo cenário, sem depender de pulinhos. Basicamente deve-se defender dos inimigos animais e piratas  recolhendo objetos que estiverem no caminho e com equipamentos especiais que podem servir pra atacar (como o arpão que também faz “pontes”), podem servir pra concluir a fase como uma chave ou um pedaço de madeira pra completar um caminho. Enquanto isso, deve-se também resolver vários puzzles, fazendo com que em muitos momentos fique evidente a influência de um sucesso do Super Nintendo “The Legend of Zelda a Link to the Past”, tanto na jogabilidade, quanto no estilo de Puzzles. A diferença é que em Zelda é um mundo inteiro a se explorar, já Goof Troop segue o esquema passar de fase derrotando o chefe no final.

Puzzles nesse estilo estarão te esperando

Puzzles nesse estilo estarão te esperando

Apesar de ser um Zelda simplificado, esse jogo tem uma opção de 2 jogadores simultâneos na tela, obviamente um joga com Goof e outro com Max, o que aumenta muito o critério de diversão.

Faça suas estratégias jogadno de 2

Faça suas estratégias jogadno de 2

 

It's a trap!

It's a trap!

 

Um chefinho pra vocês

Um chefinho pra vocês

 

Babaus!

Babaus!

Não há muito o que comentar sobre os aspectos técnicos. gráficos, sons e músicas são todos na meidda certa, são bons mas não dão nenhum show. Goof Troop é sempre muito lembrado (e rejogado) do Super Nes por ser um jogo centrado exclusivamente em diversão pra 2 jogadores.

Momento Furry! Alguem além de mim lembra que o Max tem uma prima gostosa chamada Debbie?!

Momento Furry! Alguem além de mim lembra que o Max tem uma prima gostosa chamada Debbie?!





Duck Tales 2 – Mesmo jogo, Menos Criativo, Mais Labirinto

17 06 2009

Eu fiquei devendo aqui a abertura do Darkwing Duck ;p

Duck Tales 2 (U)_01

Título: Duck Tales 2
Sistema: Nes
Em: 1993
by Capcom

Em 1993, o Super Nintendo estava por cima, era o videogame mais vendido, apesar do MEga Drive estar sempre bem próximo. Os velhos 8 bits já se preparavam pra aposentadoria, o Master System já era passado nos Estados Unidos e Japão, continuando apenas em alguns países Europeus e Brasil. O Nes já não era o que era antes, mas ainda tinha algumas notoriedade, estava entrando no seu último ano nos Estados Unidos (no Japão ainda durou até 94). E nesse último ano a Capcom foi uma das empresas que mais se dedicou ao velho console, afinal eles transformaram séries como Megaman em grandes sucessos graças ao Nes. Nisso surgiram novas versões de sucessos passados da Capcom, dentre eles Megaman 6, Mighty Final Fight, Chip’n’Dale Rescue Rangers 2 e este Duck Tales 2.

A desculpa para o roteiro é previsível: Um tal de Fergus escondeu tesouros em várias partes do mundo e Tio Patinhas e sua trupe partem para a caça. Os novos locais de exploração são um velho castelo na Escócia, a Ilha de Mu, Cataratas do Niagara, Uma pirâmide do Egito e um navio no Triângulo das Bermudas.

Duck Tales 2 (U)_02

Novidades: Comparado ao original, a única novidade realmente nítida são os upgrades feitos na bengala do velho Patinhas, que podem ser feitos encontrando o Professor Pardal durante as fases. Fazendo esses upgrades é possível quebrar blocos mais pesados, empurrar certos blocos, dentre outros. Há ainda lojinha de itens no fim das fases, onde além de itens de cura outras utilidades, é possível comprar aqueles itens de aumento de HP, que no original estavam escondidos em passagens secretas nas fases. O tempo limite pra terminar a fase foi retirado, pois além de desnecessário, as fases estão muito maiores e cheias de caminhos, o que vai dificultar a vida(o que não é uma coisa ruim) de quem sai caçando os itens da fase, assim como eu.

Duck Tales 2 (U)_03

Algumas partes do cenário não estão só pra enfeitar, esse canhão quebra a parede por exemplo

Algumas partes do cenário não estão só pra enfeitar, esse canhão quebra a parede por exemplo

Mas…: Nem tudo são fólores em Duck Tales 2. A empolgante trilha sonora do primeiro jogo não está presente. As músicas não são chatas, mas são um tanto quanto simples comparado ao primeiro. Há ainda algumas diferenças nos efeitos sonoros, o mais notável é o efeito sonoro quando se mata um inimigo, que era um tanto escandaloso no 1, neste está mais discreto, o que pode agradar uns e outros podem sentir falta.

Duck Tales 2 (U)_06

Duck Tales 2 (U)_05

Olha a fase do Guts Man!

Olha a fase do Guts Man!

 

 Os cenários, apesar de gráficos um pouco melhores, também não são tão marcantes como no anterior. Já a dificuldade continua mediana, sendo o mais difícil é passar de fase, os chefes continuam mongolões e morrendo fácil.

Ainda assim, acho Duck Tales 2 o jogo que mais se destaca deste período de despedida do Nes. Aqui vai novamente o video Crazy Duck in Space, o tema da lua no primeiro jogo, com letra ;p